Sábado, 9:45

Os raios de sol esgueiram-se pelo vão da cortina.
Levanto-me e mergulho em seus finos braços.
Ninguém observa, mas sou levado de mansinho.
Diluo-me pouco a pouco pelas horas da manhã.

Olho meu reflexo escuro sobre a porta do guarda-roupa.
Vejo a sombra do menino que viajou por mares
Selvagens e que retorna toda manhã, as 9:45, para
Coletar um pouquinho das horas que um dia serão suas.

Minha idade espalha-se por todos os cantos.
Os sentimentos agarram-se às paredes brancas
Do Quarto, pintando-as com as mais variadas cores
Enquanto minha face monocromática observa calada,
envolta em nuvens.

O sol transforma-se em lua e os dias não são mais meus.
Despeço-me mais uma vez do garoto teimoso e abraço
a noite para mais um sono de infinitas cores.

Rafael L. Toscano.

Caso queira ler mais textos como este, você pode me seguir no facebook, onde faço posts diários com pequenos textos.

Grande abraço!

Anúncios